Caldas Rugby Clube estreia-se em casa com vitória

14690933_1113686375363719_7017314425500154724_n

 

2ª Jornada do CN 1ª Divisão Caldas Rugby Clube vs Vitoria FC (Setúbal)

Muito publico Caldense na primeira jornada em casa dos Pelicanos. O trabalho que o Clube vem desenvolvendo começa a ter correspondência e reconhecimento nos adeptos.

Tempo com alguns chuviscos no início mas magnífico para a prática do Rugby. Pitch em bom estado e instalações em estado magnífico para acolher esta jornada da Primeirona. O Rugby tem condições em todo o País para uma prática com nível.

O Caldas, motivado pelo resultado da jornada anterior na Moita apresentou-se determinado a vencer. O Setúbal, procurando retificar a derrota caseira inicial também viajou determinado à procura da vitória.

Resultou destas posturas de entrega total das duas equipas um jogo muito intenso, muito lutado, nem sempre bem jogado, com resultado incerto até ao apito final e que prendeu a assistência.

Vitoria que assenta bem aos Caldenses pela sua determinação, espirito de luta e, talvez por um Rugby de melhor qualidade técnica. Uma palavra ao apoio caloroso do público Pelicano que “levou” a equipa da casa a aguentar a corajosa reação final dos Vitorianos.

Parabéns às duas Equipas pela entrega total. O Rugby saiu vencedor.

Melhor entrada dos Setubalenses. Jogo de avançados e até aos 10 minutos o jogo nos 22 m dos visitados.

Equilibraram os Caldenses e beneficiando de um jogo muito faltoso do adversário conseguiram uma transformação de penalidade aos 17min., pelo seu fly-half Tommy Lamboglia.

Na primeira metade, Caldas – 3 / Setúbal – 0, e grande equilíbrio.

O Setúbal reagiu e instalou-se nos 5 metros Pelicanos, obrigando a equipada casa a defesa corajosa. O Caldas respondeu com jogadas de contra-ataque e, por duas vezes esteve à beira do ensaio. Erros finais na libertação da bola na placagem comprometeram a concretização que se avizinhava. Mérito para a defesa agressiva do Setúbal.

Mas, aos 36 minutos, mais uma jogada de contra-ataque conduzida pelos centros Pelicanos, Tomás Jacinto e Jonathan “Nilas” Nolan resultou em ensaio, deste último, contudo não transformado.

Caldas – 8 / Setúbal – 0

Uma perda “infantil” num ruck no recomeço, colocou os avançados do Setúbal em fases sucessivas de ataque de que resultou um ensaio da equipa adversária, este bem transformado aos 39 minutos. Falta killer instinct aos jovens Pelicanos.

No reatamento o Caldas, rápido a jogar à mão esteve novamente à beira do ensaio, mas um ligeiro toque na linha lateral do seu ponta Diogo Vasconcelos, que já corria isolado, desperdiçou o ensejo de pontuar.

Ao intervalo, Caldas – 8 / Setúbal -7.

Equilíbrio mas as melhores oportunidades para os Pelicanos, fruto de um Rugby de melhor técnica e que tentou sempre o jogo à mão. Tudo em aberto e uma 2ª parte que se adivinhava de luta.

Lesionado na jogada do ensaio adversário, o capitão Pelicano não regressou para a 2ª parte e o pack Caldense viria a ressentir-se. Mas logo no recomeço o Setúbal consentiu uma penalidade, bem transformada aos postes por “Tommy2 Lamboglia, o que colocou o resultado em Caldas – 11 / Setúbal – 7. As 20 penalidades cometidas pelos Vitorianos em todo o encontro (os Caldenses consentiram 11 faltas) explicam, em parte, o resultado.

O jogo foi intenso, com paradas e respostas, o Setúbal a privilegiar o poder dos seus avançados, o Caldas a procurar jogar à mão, e, resultado de forte agressividade defensiva de ambas as equipas muitas paragens para assistência.

Aos 58 minutos e após fases sucessivas de avançados o Setúbal passou para a frente do resultado, na sequência de um 2º ensaio na sequência de formação ordenada nos 5 metros Pelicanos e saída de 8. Bem transformado, e Caldas – 11 / Setúbal – 14.

O coração e coragem Pelicana entraram então em cena. Levados pelo forte apoio vindo das bancadas, os Caldenses instalaram-se no meio-campo adversário e, mesmo sem jogar sempre com o melhor discernimento, foram provocando faltas sucessivas, beneficiando de 4 pontapés de penalidade aos postes, sempre tentados pelo jovem “Tommy” Lamboglia, dos quais 2 foram concretizados, aos 74 e 78 minutos.

Procurou, ainda reagir o Setúbal, mas foi a vez de o Caldas defender a vantagem.

Resultado Final: Caldas Rugby Clube – 17 (1 E, 4 P) / Vitoria FC (Setúbal) – 14 (2 E, 2 T).

O CRC alinhou:

Filipe Nobre, Luís Gaspar, Rui Santos, Bruno Martins, Cristiano Manuel, Ricardo Marques (Cap.), Gonçalo Sampaio, Filipe Gil, Salvador Cambournac, Tomas Lamboglia, Diogo Vasconcelos, Jonathan Nolan, Tomas Jacinto, Mateus Neves, Gonçalo Silva, João Vicente, David Esteves, António Mil-Homens, Sebastião Vasconcelos, Leonardo Ferreira, João Leitão, Pedro Madaleno.

Treinador: Patricio Lamboglia

Fisioterapeuta: João Raimundo/Physioclem

Diretor Equipa: Adelino Jacinto

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha e aos nossos patrocionadores:

patrocinadores-crc

Partilhar...Share on Facebook