4ª Jornada CN 1ª Divisão Caldas RC – 19 / RC Tecnico 17

crc_tecnico_4

Pelicanos derrotam os Lideres e consolidam lugar para o Play-Off.

4ª Jornada do CN 1ª Divisão Caldas Rugby Clube vs CR Técnico

Num sábado, finalmente já a cheirar ao tempo típico do jogo de Rugby, assistiu-se nas Caldas da Rainha a um jogo intensamente disputado, com um vencedor justo.

Bancadas razoavelmente compostas, face ao tempo chuvoso, um pitch em excelentes condições, duas equipas que deram tudo nos 80 minutos e uma arbitragem competente. O Rugby esteve mais uma vez presente.

A vitória assenta bem à jovem equipa Pelicana que acreditou e lutou pela vitória até ao fim. A coragem foi recompensada.

Duas equipas que privilegiavam, à partida, o jogo das suas linhas atrasadas, acabou por se impor a que foi mais eficaz nas disputas de avançados, quer nas fases estáticas, quer no jogo no solo. Na verdade ambos os conjuntos cometeram inúmeros erros técnicos, sobretudo avants, facto bem espelhado nas 38 formações ordenadas disputadas (18 de erros Caldenses e 20 de erros do Técnico). Neste capítulo os Pelicanos estiveram superiores (95% de eficácia na introdução própria e 33% de conquista na introdução adversaria).

Ainda que os Caldenses tenham entrado bem no jogo, aos 11 minutos os Engenheiros já tinham concretizado duas iniciativas de penetração rápida, com dois ensaios transformados.

Seguiu-se uma fase equilibrada, de jogo a meio-campo, mas onde já se começava a evidenciar a preponderância do jogo dos avançados Caldenses. Apenas uma deficiente manipulação da oval no jogo à mão – a condição do tempo pode ter tido alguma influência, ia impedindo uma maior pressão atacante e sobretudo eficácia na concretização. Exemplo, talvez a melhor sequência de todo o encontro, cerca dos 20 minutos, em que a oval circulou duas vezes a toda a largura do campo, após mais uma conquista de formação ordenada, sendo desperdiçada no último passe quando já se adivinhava o toque de meta.

Aos 20 min. Caldas RC – 0 / CR Técnico – 14

A segunda metade do primeiro tempo foi inteiramente Caldense. Instalados nos 22metros adversários os Pelicanos ficaram a dever a si próprios duas ou três soberanas ocasiões de pontuar, sempre por erros técnicos na fase final de jogadas muito bem delineadas a partir progressões seguras do pack avançado e tentativas de abertura rápida às linhas atrasadas.

Finalmente, e na, última, jogada do primeiro tempo, e na sequência de sucessivas penalidades conquistadas nos 5 metros do Técnico, jogadas rapidamente à mão, o Caldas conseguiu o merecido ensaio, entre os postes, através do 2ªlinha Antonio Mil-Homens, facilmente convertido pelo abertura “Tommy” Lamboglia.

Ao intervalo Caldas RC – 7 / CR Técnico -14. Antevia-se um segundo tempo muito intenso.

E no regresso os Pelicanos mostraram logo ao que vinham. Logo no primeiro minuto beneficiaram de uma penalidade, ainda que de grande distância tentada aos postes, mas falhada, pelo habitual chutador “Tommy” Lamboglia”.

Os dez minutos seguintes foram de domínio Caldense, e, de novo na sequência de penalidades sucessivas dos Engenheiros nos seus 5 metros, a mellée Pelicana empurrou o adversário para a linha de ensaio, concretizando o toque de meta, entre os postes, pelo recém-entrado asa “Fili” Braz Gil e uma transformação, fácil mas cirúrgica, pelo seu médio de abertura “Tommy” Lamboglia.

Aos 50 minutos, Caldas RC – 14 / CR Técnico – 14.

Os visitados acreditavam que podiam vencer, os visitantes defendiam com entrega total, procurando contrariar com ataques rápidos e, num jogo de parada e resposta, acabou o Técnico por beneficiar de uma penalidade, aos70 minutos, bem concretizada.

À entrada dos últimos 10 minutos, Caldas RC – 14 / CR Técnico – 17.

Apareceu, então, o verdadeiro espírito Pelicano. Apoiados pelos sócios e simpatizantes na bancada, o Caldas instalou-se nos 22 metros, beneficiando de sucessivas ocasiões de criar vantagem, desperdiçadas por alguma precipitação. A 2 minutos do fim os Caldenses beneficiaram de uma soberana oportunidade de empatar o jogo ao conquistarem uma penalidade, facilmente convertível. Contudo, o capitão Pelicano, transmitindo a crença da sua equipa que a vitória era possível e merecida, optou por formação ordenada e, na sequência de varias fases de pressão dos avançados Pelicanos, só contrariadas com penalidades sucessivas pelos Engenheiros, uma penetração do primeiro centro Jonathan “Nilas” Nolan, concretizou o ensaio da vitória.

Resultado final: Caldas RC -19 (3 E, 2 T) / CR Técnico – 17 (2 E, 2 T, 1P).

Vitoria que assenta bem à equipa que mais quis vencer. A Primeirona teve neste jogo mais uma demonstração que é um Campeonato muito equilibrado, e que qualquer jogo não tem, à partida um vencedor.

Como é apanágio do nosso Desporto, a terceira parte esteve ao nível do jogo. Disputada e lutada.

O CRC alinhou:
Luis Gaspar, David Esteves, Rui Santos, Antonio Mil-Homens, Bruno Martins, Ricardo Marques (Cap.), Gonçalo Sampaio, Cristiano Manuel, Salvador Cambournac, Tomas Lamboglia, Diogo Vasconcelos, Pedro Madaleno, Mateus Neves, Gonçalo Silva, Filipe Gil, Sebastião Vasconcelos, Leonardo Gonçalves, João Leitão, Tomas Jacinto.
Treinador: Patricio Lamboglia
Fisioterapeuta: João Raimundo/Physioclem
Diretor Equipa: Adelino Jacinto

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha e aos nossos patrocinadores:

sponsors

Partilhar...Share on Facebook
Facebook