7ª Jornada CN 1ª Divisão Caldas RC – 13 vs CRAV – 12

crc_crav_1

Pelicanos mantêm a invencibilidade em casa. Vitória reforça lugar para os “play-offs”

7ª Jornada do CN 1ª Divisão Caldas Rugby Clube vs CRAV

Num sábado de chuva intensa assistiu-se, nas Caldas da Rainha, a mais um disputadíssimo jogo da “Primeirona”, sem dúvida a competição mais equilibrada do Rugby Nacional. O público Pelicano presente, em apreciável número atendendo ao dia de Inverno, presenteou, no final, as 3 equipas com o aplauso que uma luta entusiástica e leal sempre merece.

Uma palavra para as boas condições do “pitch” Caldense que, apesar da forte carga de água que sofreu antes e durante o encontro, proporcionou às duas equipas jogarem em segurança e com qualidade.

A jogar a favor do vento, que se fazia sentir com média intensidade, os Arcuzenses instalaram-se no meio campo Caldense nos primeiros 20 minutos. Logo aos 4 minutos, na sequência de conquista num alinhamento, os avançados do CRAV pressionaram fortemente a linha defensiva adversaria e numa boa penetração obtiveram um primeiro toque de meta, entre os postes, facilmente transformado. Caldas RC – 0 / CRAV – 7.

Mantendo a forte toada atacante, o CRAV beneficiou aos 8 minutos de uma penalidade tentada aos postes, mas não concretizada.

A dificuldade no manuseamento da oval foi impondo um conjunto de erros técnicos de parte a parte. Como corolário, e ainda que jogado nos 50 metros dos visitados, o jogo foi disputado nas formações ordenadas. Neste particular ambas as equipas estiveram competentes e equilibradas, conquistando as respetivas introduções.

Primeiro quarto: Caldas RC – 0 / CRAV – 7

A partir desta fase, os Pelicanos soltaram-se e começaram a jogar o seu jogo característico, com boas iniciativas da sua linha de 3/4. Erros de manuseamento foram, contudo, impedindo um jogo mais eficaz.

Advinha-se o ensaio Caldense e acabou por acontecer aos 40 minutos. Penetração do 2º centro Pelicano, Tomás Jacinto, pontapé tático do 1º centro Jonathan “Nilas” Nolan, bem seguido pelo ponta Diogo Vasconcelos, só parado em falta, à entrada dos 5 metros, e correspondente amarelo para o jogador do CRAV. Na penalidade jogada à touche, o Caldas conquistou o alinhamento e na sequência da moule conseguiu o toque de meta, pelo 2ª Linha António Mil-Homens, bem transformado pelo abertura Tomas “Tommy” Lamboglia, irrepreensível nas tentativas aos postes.

Ao intervalo: Caldas RC – 7 / CRAV – 7

Ascendente dos Arcuzenses que contudo não conseguiram materializar em pontos. Resposta capaz dos Pelicanos bem recompensada. Jogo em aberto.

Tonificados pelo resultado, a jogar a favor do vento e apoiados pelo público os Caldenses entraram com tudo no segundo tempo acreditando que poderiam ser felizes.

E apenas alguns erros técnicos e de decisão das jogadas foi impedindo a concretização de pontos.

O jogo foi-se disputando no meio-campo dos visitantes. A partir dos 55 minutos ambas as equipas foram-se refrescando. Com banco completo o CRAV, apenas com 4 suplentes o Caldas RC. Mas a vontade e o empenho dos Pelicanos estava imparável e aos 58 minutos beneficiaram de uma penalidade. Tentada aos postes e convertida pelo chutador de serviço “Tommy” Lamboglia.

Terceiro quarto: Caldas RC – 10 / CRAV – 7

O jogo passou a desenrolar-se numa toada de parada e resposta, principalmente a meio-campo, ainda que com mais perigo por parte da equipa Pelicana. Mais pesados os avançados do CRAV procuraram jogo de pressão, mas o Caldas defendeu com determinação, procurando com pontapés táticos e jogadas rápidas das suas linhas atrasadas colocar em dificuldades a defensiva contrária.

Aos 36 minutos e em mais uma penalidade conquistada e tentada aos postes, o Caldas concretizou um excelente pontapé de “Tommy” Lamboglia, e colocou o resultado em Caldas RC – 13 / CRAV – 7. O ainda sub-18 Caldense não tremeu e levantou o público Pelicano num apoio de quem está com a Equipa e como Clube.

O CRAV reagiu com o orgulho de uma verdadeira equipa de Rugby e, beneficiando de uma sequência de erro do Caldas – o desgaste final fez-se pagar, conseguiu um segundo toque de meta na bola de jogo. A transformação falhada não permitiu a reviravolta no resultado.

Resultado final: Caldas RC – 13 (1 E, 1 T, 2 P) / CRAV – 12 (2 E, 1 T)

Qualquer das equipas merecia a vitória. Aceita-se o resultado, talvez fruto da maior crença e vontade demonstradas pelos Pelicanos, equipa mais jovem e inexperiente. Arbitragem competente.

Jogo corretíssimo e leal o que dada a condição do terreno e o despique intenso é sempre de saudar. A terceira parte seguiu no mesmo nível. O Rugby esteve presente!

O CRC alinhou:
João Vicente, David Esteves, Rui Santos, Luis Gaspar, António Mil-Homens, Gonçalo Sampaio, Ricardo Marques (Cap.), Cristiano Manuel, Salvador Cambournac, Tomas Lamboglia, Diogo Vasconcelos, Jonathan Nolan, Tomas Jacinto, Mateus Neves, Gonçalo Silva, Filipe Nobre, Sebastião Vasconcelos, Filipe Gil, Leonardo Ferreira.
Treinador: Patricio Lamboglia
Fisioterapeuta: João Raimundo/Physioclem
Diretor Equipa: Adelino Jacinto

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha, e aos nossos patrocinadores:

sponsors

Partilhar...Share on Facebook
Facebook