10ª Jornada CN 1ª Divisão Caldas RC – 47 / Rugby Vila da Moita – 29

Pelicanos vencem o Rugby Vila da Moita e sobem na tabela

10ª Jornada do CN 1ª Divisão Caldas Rugby Clube vs Rugby Vila da Moita

No início da 2ª volta o Calda RC recebia o Rugby Vila da Moita, equipa com quem tinha perdido na 1ª jornada, pela diferença mínima de 3 pontos, e de que estava separada por apenas 2 pontos na classificação.

Ambas as equipas vinham de resultados incentivantes, os Pelicanos da vitória para a Taça de Portugal frente aos eternos rivais do Santarém os Moitenses da vitória fora sobre o CR Técnico, para o Campeonato.

Magnífica tarde de Inverno, fria mas com sol e algum vento, que não prejudicou o desempenho das duas equipas.
Muito público Pelicano nas bancadas do muito bem tratado complexo desportivo das Caldas da Rainha. As boas prestações da equipa Caldense trazem os adeptos em cada vez maior número.

Logo no aquecimento, um contratempo para os visitados que viram o seu médio de abertura, “Tommy” Lamboglia, lesionar-se.

Não se perturbou o Caldas e logo na primeira jornada do encontro chegou ao ensaio. Receção do pontapé de saída pelo Moita que tentou sair a jogar mas viu a sua iniciativa colocada fora. Alinhamento bem conquistado, moule e sequência final de “pick” & go” dos Caldenses com penetração pelo centro do hoje médio de abertura Pelicano, Jonathan “Nilas” Nolan, que também concretizou a transformação.

Reagiu bem o Moita, com o seu jogo típico de nº 8 e abertura, e aos 3 minutos teve uma primeira oportunidade para reduzir, mas a tentativa de transformação de penalidade não teve êxito. Contudo, aos 8 minutos, numa jogada de penetração pelo centro através da sua 3ªlinha, mal defendida pelo adversário, chegou ao ensaio, pelo nº 8,bem transformado.

O Caldas respondeu e, superiormente comandado pelo seu nº 10 chegou de novo ao ensaio aos 15 minutos. Excelente pontapé tático de J.”Nilas” Nolan, após novo alinhamento bem conquistado, a solicitar o ¾ ponta, Diogo Vasconcelos, apenas travado in extremis pelo Moita com toque de meta. Na formação ordenada consequente os Pelicanos conquistaram uma penalidade que, jogada novamente em “mellée”, conduziu à pontuação pelo pilar direito, Rui Santos. Nova transformação pelo médio de abertura Caldense.

Aos 20 minutos o Moita voltou a empatar, em jogada muito idêntica ao 1ºensaio e com os mesmos protagonistas.

1º Quarto: Caldas RC – 14 / R. Vila da Moita – 14.

O jogo prosseguiu na mesma toada de equilíbrio, o Caldas a jogar ao largo, o Moita a defender bem e a procurar contra-atacar.

Aos 32 minutos o Caldas marcou de novo, através do seu nº 8, Filipe “Fili” Braz Gil, de novo bem transformado pelo chutador Pelicano de serviço.

Respondeu o Moita e, numa interceção e contra-ataque obteve o seu 3ºtoque de meta pelo seu ¾ ponta.

Ao intervalo: Caldas RC -21 / Rugby Vila da Moita – 19.

Jogo disputado, com boas jogadas de Rugby, resultado em aberto.

Entrou muito forte a equipada casa para o segundo tempo. Sob o comando do médio de abertura, dominador nos alinhamentos e “mellées”, jogando à mão em velocidade a partir de jogadas de fixação dos seus avançados, os Pelicanos foram construindo diversas ocasiões. O Moita respondeu sempre com defesa coriácea e procurando responder, sempre através de jogadas de saída do seu nº 8.

Aos 53 minutos, talvez na melhor jogada coletiva de todo o encontro, o Caldas obteve, pelo experiente ”arrier”, Pedro “Boi” Madaleno, o 4º ensaio, mais uma vez bem transformado.

A jogada merece descrição: após uma bola ganha no “ruck” – os avançados Pelicanos estiveram muito bem neste importante capítulo do jogo- uma arrancada decidida do 2º centro Tomás Jacinto foi magnificamente continuada pela 3ª linha Pelicana e, após fixação final à entrada dos 5 metros o toque de meta.

Procurou reagir o Moita e, logo na resposta, beneficiou de uma penalidade, magnificamente transformada. Resultado de novo nivelado e jogo de parada e resposta.

3º Quarto: Caldas RC – 28 / Rugby Vila da Moita – 22.

O Caldas começou então a refrescar a equipa, e com a entrada de novos pilares, acentuou a sua pressão. A 1ª linha Pelicana esteve sempre dominadora neste encontro.

Como resultado obteve aos 61 minutos e aos 66 minutos 2 ensaios, na sequência de jogadas de conquista nos alinhamentos, capítulo onde os Pelicanos estiveram também dominadores. O primeiro pelo 2ª linha do lado fechado Cristiano “Cristi” Manuel e o segundo pelo ¾ ponta Diogo Vasconcelos após magnífico pontapé tático de J.”Nilas” Nolan, a solicitar a entrada decidida do marcador, após iniciativa de contra-ataque protagonizada pelo talonador David “Foto” Esteves . Ambos os ensaios foram convertidos.

Empolgados os Pelicanos e na sequência de jogadas de várias jogadas de penetração obtiveram aos 68 minutos o 7º ensaio, de novo pelo 2ª linha do lado fechado Cristiano ”Cristi” Manuel, a finalizar nova jogada de Rugby coletivo iniciada, de novo a partir de iniciativa do 2º centro Tomas Jacinto e continuada pelo capitão e asa Ricardo Marques.

Não pararam os Caldenses e por diversas vezes o toque de meta esteve eminente. O Moita com o espírito de Rugby que se saúda defendeu com brio e, com orgulho foi sempre à procura de contrariar o seu adversário.

Na bola de jogo, justo prémio para a atitude dos Moitenses. Apesar da defesa com tudo da equipada casa, o ensaio foi finalmente conseguido, bem transformado.

Resultado final: Caldas RC – 47 (7 E, 6 T) / Rugby Vila da Moita – 29 (4 E, 3 T, 1 P).

Vitória da melhor equipa, o Caldas RC, equilibrada nos vários setores, forte nas fases estáticas do jogo, que praticou um Rugby académico, com fases de ataque de muito bom nível. Resposta briosa da equipa da Vila da Moita que procurou sempre jogar o seu jogo, mas que foi incapaz de contrariar o jogo à mão, largo e rápido do adversário.

Saúdam-se os regressos de Cristóvão Monteiro e Nika Charkviani. Com estes “reforços” e com a possibilidade de também passar a utilizar 3 jovens sub-18, Baltazar Fernandes, Ricardo Rei e Eduardo Vieira, que têm vindo a demonstrar a sua qualidade, o Caldas fortalece a sua equipa, agora com varias opções para as naturais lesões ou outras ausências.

Arbitragem competente de Bruno Rodrigues.

O CRC alinhou:
Luis Gaspar, David Esteves, Rui Santos, Cristiano Manuel, Bruno Martins, Gonçalo Sampaio, Ricardo Marques (Cap.), Filipe Gil, Salvador Cambournac, JonathanNolan, Diogo Vasconcelos, Gonçalo Silva, Tomas Jacinto, Cristóvão Monteiro, Pedro Madaleno, João Vicente, Filipe Nobre, Francisco Fraga, Sebastião Vasconcelos, Leonardo Ferreira, Nika Charkviani.
Treinador: Patricio Lamboglia
Fisioterapeuta: João Raimundo/Physioclem
Diretor Equipa: Adelino Jacinto

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha, e aos nossos patrocinadores:

Partilhar...Share on Facebook
Facebook