15ª Jornada CN 1ª Divisão Caldas RC -6 vs SL Benfica Rugby – 21

Caldas RC perde com SL Benfica Rugby em jogo disputado

15ª Jornada do CN 1ª Divisão Caldas RC vs SL Benfica Rugby

Dia de clima britânico, típico da região Oeste e do Rugby. Muita chuva, sem vento, pitch em estado magnífico. As instalações do Caldas RC bem cuidadas.

Muito público, de ambas as equipas, afrontaram a invernia desta típica Primavera, para assistir a um jogo que se antevia de qualidade. Os Caldenses a procurar manter um percurso ascendente na tabela, o Benfica à busca de manter o equilíbrio com o Bairrada na luta pelo 2º lugar desta fase regular. A “Primeirona” é a competição nacional mais equilibrada, prova de que o Rugby não é só Lisboa e que, qualquer política de desenvolvimento terá que olhar com atenção para oque se faz com qualidade por todo o País.

O Caldas entrou atentar jogar o seu Rugby mais académico, jogo à mão, rápido procurando com pontapés táticos colocar dificuldades à linha defensiva Encarnada, O Benfica respondia com jogo a partir dos seus avançados, fixando plataformas para lançar os seus centros muito bem comandos pelo excelente médio de abertura, de facto um jogador de nível para outros voos.

Os primeiros 20 minutos foram de equilíbrio, nas fases estáticas e no jogo no chão com conquitas alternadas.

Um alinhamento Caldense bem ganho pelo Benfica – neste domínio particular do jogo as Águias estiveram superiores, iniciou um período continuado de ataque continuado – cerca de 20 fases dos avançados Encarnados, contudo defendida com grande coragem e atitude pelos Pelicanos, sempre à entrada dos seus 22 metros. Uma penalidade finalmente conquistada, e jogada à touche permitiu conquista poderosa, moule e ensaio aos 24 minutos. Transformação exemplar do médio de abertura do Benfica e abertura do resultado. Caldas – 0 / Benfica – 7.

Respondeu o Caldas, colocando o jogo nos 22 metros adversários, através de pontapés táticos do centro Jonathan Nolan. E aos 29 minutos, beneficiando de um fora de jogo o jovem médio de abertura Pelicano chutou com êxito aos postes na transformação da penalidade, reduzindo para Caldas – 3 / Benfica – 7.

Desconcentrados, os Pelicanos permitiram, na resposta, uma jogada de penetração rápida do centro Encarnado e um ensaio muito facilitado entre os postes, transformado. A este nível, a ainda alguma inexperiência Pelicana paga-se muito cara. Caldas – 3 / Benfica – 14.

Reagindo e acreditando que o resultado não espelhava o que se vinha a passar no terreno de jogo, os Pelicanos fizeram uns 10minutos finais de constante pressão atacante.

E com o jogo nos seus 5 metros respondeu o Benfica com defesa fortíssima e muito aguerrida, abortando o ensaio que se adivinhava eminente dos Pelicanos. Sucessivas penalidades da dos Encarnados, tentadas ora com pontapés à touche ou jogadas àmão, apenas foram finalmente concretizados em pontos aos 40 minutos por novo pontapé aos postes, bem concretizado por Tomas Lamboglia.

Ao Intervalo: Caldas RC – 6 / SL Benfica Rugby – 14.

Jogo interessante, muito lutado, ambas as equipas muito fortes a defender, com a diferença no marcador a resultar de uma maior maturidade e experiência das Águias a aproveitar alguns erros dos Pelicanos.

A segunda parte desenrolou-se com grande equilíbrio, principalmente jogado entre asduas linhas de 22 metros.

Até aos15 minutos o Caldas procurou colocar a oval nos últimos 10 metros Encarnados, mas diversos erros de manuseamento ou uma incapacidade evidente nos alinhamentos, sempre muito bem contrariados pelos saltadores adversários, iam gorando as iniciativas atacantes da equipada casa.

Acentuou a sua pressão atacante o Caldas, mas foi a vez do Benfica defender com competência.

Respondeu o Benfica ecolocou o jogo nos últimos 10 metros Pelicanos. Foi a vez de os Caldenses responderem, com toda a coragem foram impedindo a concretização das várias tentativas das Águias, procurando sempre respostar, jogando à mão.


E, aos 37 minutos, na sequência de mais um alinhamento ganho, o Benfica aproveitou uma falha defensiva Caldense e uma penetração pelo centro foi concretizada com o terceiro ensaio, entre os postes. A transformação, fácil, colocou o resultado na sua expressão final.

Até final, o Benfica procurou um novo toque de meta, que lhe daria o ponto bónus. O Caldas respondeu pressionando a linha defensiva Encarnada e, na bola de jogo esteve na eminência do ensaio, merecido pelo que colocou em campo.
Resultado Final: Caldas RC – 6 (2 P) / SL Benfica Rugby – 21 (3 E, 3 T).

Jogo agradável de seguir, muito intenso do ponto de vista do embate físico. Ganhou com justiça a equipa mais forte deste ponto de vista mas que também mostrou mais maturidade e experiência.

O resultado talvez não espelhe o equilíbrio registado e penaliza a equipa Pelicana que esteve muito bem no capítulo defensivo mas não foi capaz de ultrapassar a forte defesa Encarnada em alguns momentos decisivos.

Arbitragem correta num jogo muito disputado mas correto no ponto de vista disciplinar.

O CRC alinhou:
Luis Gaspar, David Esteves, Rui Santos, Cristiano Manuel, Bruno Martins, Leonardo Ferreira, Ricardo Marques (Cap.), Nika Charkviani, Salvador Cambournac, Tomás Lamboglia, Diogo Vasconcelos, Jonathan Nolan, Tomas Jacinto, Cristóvão Monteiro, Gonçalo Silva, Filipe Nobre, Francisco Fraga, Sebastião Vasconcelos, Gonçalo Sampaio, Filipe Gil, Mateus Neves.

Treinador: Patricio Lamboglia
Treinador Adjunto: Guilherme Neves
Treinador Adjunto: Guilherme Neves
Fisioterapeuta: João Raimundo/Physioclem
Diretor Equipa: António Ferreira Marques

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha, e aos nossos patrocinadores:

Partilhar...Share on Facebook
Facebook