18ª Jornada CN 1ª Divisão CR Évora – 19 vs Caldas RC – 11

Pelicanos dominam 1ªparte e vendem cara a derrota frente ao leader

18ª Jornada do CN 1ª Divisão CR Évora vs Caldas RC

Com a classificação final na Fase Regular já definida para ambas as equipas – o CRE no 1º lugar após campanha dominadora e o Caldas RC já apurado para o ”play-off”, objetivo talvez impensável no início da época, ambas as formações encararam esta última jornada como uma oportunidade para jogar uma partida aberta. Os Chaparros já a preparar uma final que se advinha em função da qualidade da equipa, e os Pelicanos a procurar demonstrar a melhoria que tinha vindo a demonstrar nas últimas partidas face a adversários do topo da tabela.

No novo campo de Rugby da capital alentejana, com público em grande número e tempo agradável, a partida correspondeu à expectativa. Disputada até ao último minuto, com ascendência repartida entre as duas equipas – 1ª parte dos Caldenses e resposta forte dos Eborenses na 2ª metade.

Entrou forte o Caldas, procurando pressionar a linha defensiva do Évora. Talvez sem esperar esta atitude do adversário, a equipa da casa mostrou-se algo apática, provocando algumas penalidades jogadas à touche pelos Pelicanos, mas sem resultados.

Oportunidade aos 19 minutos para o Évora, mas a tentativa de transformação de uma penalidade não resultou.

1º Quarto: CR Évora – 0 / Caldas RC – 0.

Jogo repartido, com falhas técnicas de ambas as equipas.

Aos 25 minutos uma conquista na formação ordenada nos seus 22 metros foi prosseguida pelos Pelicanos à mão. O ¾ ponta Diogo Vasconcelos jogou inteligentemente ao pé e a jogada foi defendida in extremis para a touche. Conquista eficaz, moule poderoso e o toque de meta Pelicano concretizado por Giorgi Turabelidze.

Tentou reagir o Évora, e aos 33 minutos uma nova de transformação de penalidade foi desperdiçada.

Intensificou a pressão o Caldas e após várias fases apenas paradas com faltas, beneficiou de uma penalidade bem convertida pelo habitual chutador Pelicano Tomás Lamboglia, aos 40 minutos.

Nos 3 minutos de tempo adicional, justificados por paragens para assistência, os Pelicanos tentaram alargar o resultado, mas o Évora defendeu com eficácia.

Ao Intervalo: CR Évora – 0 / Caldas RC – 8.

Surpresa ou talvez não a prestação dos visitantes. Resultado que espelhava a atitude personalizada dos Caldenses, que poderiam, com melhor concentração em momentos críticos do jogo – os alinhamentos, sair para o intervalo ainda com maior vantagem.

O Évora entrou para a 2ª parte com outra atitude, de quem liderou, com mérito e qualidade Rugbista, a Primeirona.
Logo aos 42 minutos e na sequência de conquista em formação ordenada, saída poderosa do asa, sem contra defensiva pelos Pelicanos e toque de meta dos Chaparros. A transformação não foi concretizada.

Acusou o Caldas e, apesar de algumas tentativas de sair a jogar à mão pelos 3 de trás, os Pelicanos não conseguiram ser eficazes na conclusão destes ataques, também fruto da defesa Eborense.

Aos 52 minutos, e após uma boa série de fases dos seus avançados o Évora chegou a novo ensaio, desta feita transformado.

O Caldas refrescou a equipa e procurou colocar o jogo nos 22 metros adversários.

Aos 58 minutos, aproveitando mais uma falta do Évora, o médio de abertura Pelicano converteu o pontapé de penalidade, colocando os Pelicanos na disputa do resultado.

3º Quarto: CR Évora – 12 / Caldas RC – 11.

Jogo totalmente em aberto, duas equipas a lutar pela vitória.

O Caldas acreditava, jogava ao ataque, mas a ineficácia nos alinhamentos ia comprometendo as vantagens conseguidas.
O Évora respondia sempre em contra-ataques muito rápidos, desgastando a defesa Caldense.

Aos 72 minutos e após uma tentativa de drop Pelicana, uma conquista de formação ordenada e uma poderosa saída de 8 foi seguida por um contra-ataque poderoso que terminou em toque de meta dos Eborenses, mais uma vez transformado.
Procuraram até final as duas equipas pontuar. O Évora o ensaio que lhe daria o ponto bónus ofensivo, o Caldas o mesmo ensaio que lhe daria o ponto de bónus defensivo. Estiveram, talvez, mais perto os Pelicanos, mas a defensiva Eborense também mereceu não ser desfeiteada.

Resultado Final: CR Évora – 19 (3 E, 2 T) / Caldas RC – 11 (1 E, 2 P).

Duas partes distintas. Domínio Caldense na 1ª parte, forte resposta dos Eborenses na 2ª parte. Jogo agradável de seguir.

Vitória justa da equipa que vem dominando a Primeirona, resposta com momentos de muito bom Rugby da equipa Pelicana.
O Rugby na 1ª Divisão Nacional merece a atenção dos responsáveis federativos. A qualidade e o nível competitivo prendem as assistências e são fator de sustentabilidade da modalidade.

Arbitragem competente, como nos vem habituando, de João Costa.

O CRC alinhou:
Luis Gaspar, David Esteves, Rui Santos, Cristiano Manuel, Gonçalo Sampaio, Nika Charkviani, Ricardo Marques (Cap.), Giorgi Turabelidze, Salvador Cambournac, Tomás Lamboglia, Diogo Vasconcelos, Jonathan Nolan, Tomas Jacinto, Mateus Neves, Gonçalo Silva, Filipe Nobre, Leonardo Ferreira, Filipe Gil, Cristóvão Monteiro.
Treinador: Patricio Lamboglia
Fisioterapeuta: Rodrigo Santos/Physioclem
Diretor Equipa: Adelino Jacinto

A equipa do Caldas Rugby Clube deslocou-se em autocarro da CMCR. Os nossos agradecimentos a Jorge Duarte.

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha, e aos nossos patrocinadores:

Partilhar...Share on Facebook