17ª Jornada CN2 Caldas RC – 38 (5E, 2T, 3P) vs Guimarães RUFC – 7 (1E, 1T)

17ª Jornada CN2 Seniores

Caldas RC vence Guimarães na Festa dos 20 anos.

A comemorar 20 anos e numa época muito positiva, o Caldas RC recebia o Guimarães numa partida em que ambas as equipas lutavam por objetivos importantes. O Caldas à procura de garantir a disputa da ½ final na cidade termal, o Guimarães a perseguir o 4º lugar que lhe dará também um lugar nos últimos quatro.

Tarde de inverno, um pitch pesado, mas bem tratado, e bancadas cheias. Tudo o que se perspetivava para um espetáculo empolgante.

E o jogo correspondeu às expectativas. Duas equipas que se entregaram à disputa preocupadas apenas em jogar Rugby, uma arbitragem competente, publico a vibrar e a apoiar com sentido desportivo. O CN2 é cada vez mais um exemplo no panorama do Rugby Português.

Iniciou confiante o Caldas procurando desde cedo impor o seu Rugby, muito técnico e a privilegiar o jogo à mão. Respondeu com determinação o Guimarães, muito pressionante e eficaz nos rucks.

Aos 5 minutos, numa primeira oportunidade, o Caldas transformou, com êxito, uma penalidade aos postes, pelo “internacional” Tommy Lamboglia.

Várias tentativas, sempre finalizadas através do poderoso “arrier” Claudio França iam sendo anuladas, com dificuldade pelos Bravos. Mas aos 16 minutos e na sequência de nova iniciativa o formação Pelicano abriu para a entrada decidida do 2ª linha Gonçalo Sampaio que concretizou o toque de meta. Transformação sem mácula do chutador Pelicano.

1º Quarto: Caldas RC – 10 / Guimarães RUFC – 0.

Algumas falhas e forte jogo no solo do Guimarães impediam o Caldas de uma maior pontuação.

A partida prosseguiu com o Guimarães a procurar responder. Jogo poderoso de avançados a tentar ultrapassar a linha defensiva dos Pelicanos. Defendia com determinação o Caldas, mas sem conseguir colocar a oval jogável na linha defensiva adversária.

À meia-hora o Guimarães chegou ao ensaio, magnificamente transformado. Jogada muito rápida à mão, após nova penetração de avançados pelo centro, indecisão na abordagem á placagem e o inevitável toque de meta.

Alertados os Pelicanos responderam, com os seus avançados a dominarem as formações ordenadas e a lançarem rápidas incursões dos seus 3/4s a partir do par de médios, com grande leitura. Em consequência duas penalidades, convertidas com mestria aos postes, por Tommy Lamboglia, aos 33 minutos e aos 40 minutos colocaram tranquilidade no marcador para a equipada casa.

Ao intervalo: Caldas RC – 16 (1E, 1T, 3P) / Guimarães RUFC (1E, 1T.

Partida disputada, vantagem do Caldas, que dominava, mas resposta de qualidade do Guimarães. Antevia-se uma 2ª parte de grande equilíbrio.

Entrou ainda mais decidido o Caldas para a segunda metade.

Jogo instalado nos 22 metros dos Bravos, várias fases de avançados e 3/4s, só paradas com recurso à falta já nos 5 metros. Escolheram sempre os Pelicanos a disputa da mellée, onde se mostraram implacáveis e aos 49 minutos a formação adversária empurrada até à linha de ensaio, entrada decidida do ponta Diogo Vasconcelos e toque de meta, facilmente transformado pelo médio de abertura Caldense.

Não abrandaram os Pelicanos e numa jogada rápida de entendimento dos avançados, o “arrier” Claúdio França concretizou novo toque de meta à ponta, aos 52 minutos. A transformação não teve êxito.

 

O Guimarães mostrou porque é umadas melhores equipas do CN2. Veio para cima do Caldas, encadeando várias fases da sua linha avançada. Respondeu o Caldas com defesa determinada nunca dando ensejo a que a linha de vantagem fosse ultrapassada.

 

3º Quarto: Caldas RC – 28 / Guimarães RUFC – 7.

Jogo resolvido, o Caldas muito decidido e confiante, a praticar um Rugby empolgante. Resposta com grande carácter do Guimarães.

Os Pelicanos libertaram-se da pressão contrária e foram à procura do bónus de ataque.

Aos 65 minutos e numa jogada de grande expressão o ¾ ponta Diogo Vasconcelos respondeu a um magnífico pontapé tático do nº 10 e colocou a oval no toque de meta. A transformação não resultou.

Com as bancadas em sintonia e a transportar a equipa, o Caldas chegou ao quinto ensaio aos 74 minutos. Nova conquista de formação ordenada, empurrada até à linha e entrada do 1º centro Tiago “Samu” Santos.

Os últimos minutos foram de gestão Pelicana

Resultado Final: Caldas RC – 38 (5E, 2T, 3P) / Guimarães RUFC – 7 (1E, 1T).

Resultado desnivelado num jogo mais equilibrado do que o marcador mostrou no final. O Caldas colocou no relvado fases de Rugby de bom nível. Excelente prestação do 8 da frente nas fases estáticas e condução inteligente do par de médios a servir uma linha atrasada de bom nível técnico e muito rápida. Com a dificuldade de manuseamento, devido à chuva que se fez sentir a espaços, a capacidade técnica foi decisiva.

Resposta de grande atitude do Guimarães. Jogou sempre o jogo e procurou colocar o seu Rugby no relvado.

Arbitragem competente de Bruno Caldeira.

Alinharam pelo Caldas RC: Alexandre Vieira, Cláudio França (1E), David Esteves, Diogo Vasconcelos (2E), Dorin Plameadala, Filipe Gil, Gonçalo Sampaio (1E), Gonçalo Silva, Leonardo Ferreira, Luis Gaspar, Mateus Neves, Ricardo Marques (Cap.), Rui Santos, Salvador Cambournac, Sebastião Vasconcelos, Tiago Santos (1E), Tomás Jacinto, Tomás Lamboglia (2T,3P), Tomas Melo

Treinador: Patrício Lamboglia

Diretor de Equipa: António Ferreira Marques

Delegado ao Jogo: Pedro Madaleno

Fisioterapeuta: Rodrigo Santos/Physioclem

Apontamento final para a magnífica 3ª parte. A comemoração dos 20 anos do Caldas Rugby Clube uniu inúmeros sócios, simpatizantes, patrocinadores em união com os jogadores dos diferentes escalões, equipas técnicas e Comissão Diretiva e a presença do Vereador do Desporto da CMCR.

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha e aos nossos patrocinadores.

Partilhar...Share on Facebook
Facebook