1ª Jornada CN 1ª Divisão, 6 Outubro 2018, CRAV – 9 (3 P) vs Caldas RC – 36 (4 E, 2 T, 4 P)

1ª Jornada CN 1ª Divisão Seniores

Caldas RC estreia-se com vitória expressiva em Arcos de Valdevez

Na sua 8ª época na 1ª Divisão do Rugby Nacional o Caldas RC iniciou a temporada com uma sempre difícil deslocação ao Minho para defrontar o CRAV (Clube Rugby Arcos de Valdevez).

O Campeonato Nacional da 1ª Divisão, segundo nível competitivo nacional, tem esta época uma dificuldade acrescida, fruto da reorganização do quadro competitivo. Este é a verdadeira competição nacional, com clubes distribuído por todo o território, desde o Minho (com 2 equipas) ao Alentejo (outras 2 equipas).

Antevia-se uma partida muito difícil, não só porque o CRAV é o campeão em título, mas também porque os Pelicanos nunca tinham triunfado, na sua já longa história de mais de 20 anos, nas margens do Vez.

Dia excelente de um Verão tardio, com algum vento e num relvado em bom estado, tudo se proporcionava para uma tarde de Rugby. Pena o pouco público presente, a que o fim-d-semana prolongado não será estranho.

Os primeiros vinte minutos foram repartidos e sem grandes oportunidades para marcação de pontos.

O CRAV com o seu jogo de avançados, bem contrariado pela defesa Pelicana, o Caldas procurando a supremacia do seu tradicional jogo à mão, mas pouco efetivo. A defesa muito agressiva, por vezes para além das leis do jogo (o cartão amarelo mostrado ao jogador Arcuense no final deste primeiro período foi resultado de placagem alta), ia colocando dificuldades aos movimentos à mão das linhas atrasadas Caldenses.

1º Quarto: CRAV – 0 / Caldas RC – 0

O jogo soltou-se e o Caldas, pressionando nos últimos 5 metros, esteve perto do primeiro toque de meta. Um adiantado na finalização de um “moule” após conquista no alinhamento frustrou a inauguração do marcador.

Respondeu o CRAV e após penalidade cometida por fora de jogo dos Caldenses, aos 27 minutos, na sequência de um ataque rápido, concretizou na transformação aos postes.

Não se perturbam os Caldenses e começando a ter a iniciativa e o domínio do jogo, tiveram idêntica oportunidade, aos 29 minutos, contudo não concretizada.

Mas, logo após, aos 31 minutos, receção do defesa Claúdio França e combinação em penetração com o centro Oky D’Amato, travada nos 5 metros adversários, chegada rápida da 2ª linha Pelicana e o ensaio concretizado pelo capitão Ricardo Marques. Transformação sem mácula do médio de abertura Tommy Lamboglia.

Empolgados os Pelicanos não pararam, e aos 33 minutos pontuaram o segundo ensaio. Jogada em grande velocidade dos “três de trás”, e concretização à ponta de Diogo Vasconcelos. Transformação difícil não foi concretizada.

O Caldas desconcentrou-se e, aos 39 minutos, num ato de indisciplina – contestação de uma decisão de arbitragem, permitiu ao CRAV uma penalidade facilmente concretizada aos postes.

1ª Parte: CRAV – 6 (2 P) / Caldas RC – 12 (2 E, 1T)

Primeiros 20 minutos equilibrados, domínio e melhor Rugby Pelicano no segundo quarto. Percebia-se que o vencedor estaria encontrado, mas a atenção, concentração e acima de tudo a disciplina de jogo e atitude seriam a chave.

O Caldas iniciou a segunda parte reganhando a concentração e disciplina que se pedia. Avançados a dominarem as fases estáticas, e linhas atrasadas com o tradicional jogo à mão Pelicano iam criando ruturas na linha Arcuzense, só compensadas com recurso à falta.

Assim, aos 43 minutos penalidade convertida aos postes pelo habitual chutador Pelicano Tommy Lamboglia, elevava o marcador para CRAC – 6, Caldas RC – 15.

Aos 46 minutos nova falta dos minhotos e novo pontapé com êxito de Tommy Lamboglia, elevava para CRAC – 6, Caldas RC – 18.

O CRAV passou então a jogar mais com o coração, cometendo faltas agressivas aproveitando o Caldas para, aos 55 minutos para transformar nova penalidade aos postes, desta feita pelo centro Jonathan Nolan. CRAC – 6, Caldas RC – 21.

Numa atitude de resposta briosa o CRAV reagiu e pressionou a defesa Pelicana que começou a cometer faltas. Aos 57 minutos, o chutador Arcuzense aproveitou uma penalidade aos postes para reduzir o marcador.

3º Quarto: CRAV – 9 (3 P) / Caldas RC – 21 (2 E, 1 T, 3 P)

Foi o canto de cisne da equipa da casa.

Os últimos 20 minutos foram de domínio total Pelicano, à procura de ensaios que lhe permitissem o ponto bónus ofensivo.

Aos 62 minutos mais uma falta dos minhotos permitiu a Jonathan Nolan mais um pontapé com êxito.

Aos 64 minutos uma arrancada com tudo do “arrier” Cláudio França só terminou entre os postos. Transformação fácil de Jonathan Nolan e o marcador em CRAC – 9, Caldas RC – 31.

Entrou então em contenção a equipa Caldense, promovendo algumas substituições; a época está no início e alguns jogadores ainda não se encontram no ponto de forma.

Aos 73 minutos um amarelo ao médio de abertura Tommy Lamboglia, por falta inadvertida no ruck, numa altura em que já estava algo desgastado pelas muitas entradas agressivas de que foi alvo, colocou alguma perturbação no jogo Caldense.

Mas a raça Pelicana nunca se vergou e, mesmo no final da partida, aos 79 minutos uma conquista limpa em alinhamento proporcionou o quarto toque de meta ao veterano pilar Luís Gaspar.

Resultado Final: CRAV – 9 (3 P) / Caldas RC – (4 E, 2T, 4 P).

Vitória sem contestação da equipa do Caldas RC que praticou, a espaços, Rugby de qualidade.

Procurou sempre responder a equipa da casa, mas não conseguiu mostrar Rugby que contrariasse o melhor jogo Pelicano.

Segue-se, no próximo sábado, 13 de Outubro, a 2ª jornada com a receção ao RC Montemor.

Alinharam pelo Caldas RC: Alexandre Vieira, Claúdio França (1E), Cristiano Manuel, David Esteves, Diogo Vasconcelos (1E), Filipe Gil, Gonçalo Sampaio, Gonçalo Silva, Jonathan Nolan (1T, 2P), Leonardo Ferreira, Luís Carvalho, Luís Gaspar (1E), Mariano Farias, Nuno Tomaz, Oscar d’Amato, Ricardo Marques (Cap.) (1E), Ricardo Rei, Rui Santos, Salvador Cambournac, Tiago Gaspar, Tomás Lamboglia (1T, 2P), Wilson Bento

Treinador: Patrício Lamboglia

Diretor de Equipa: Francisco Azinheira

Fisioterapeuta: Érica Balseiro/Physioclem.

A equipa do Caldas RC deslocou-se em autocarro da Rodoviária do Oeste, transportadora oficial do Caldas RC,

e agradece à Synergia Guest House de Braga que nos acolheu.

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha e aos nossos patrocinadores.

Partilhar...Share on Facebook
Facebook