2ª Jornada CN 1ª Divisão Caldas RC – 21 (2E, 1T, 2P, 1DG) vs RC Montemor – 36 (6E, 3T)

 

2ª Jornada CN 1ª Divisão Seniores

Caldas RC perde com o RC Montemor na estreia em casa, mas deixa boas indicações

O Caldas RC apresentava-se na sua primeira jornada em casa defrontando a forte equipa do RC Montemor, formação vinda da Divisão de Honra, com vários internacionais Sub20, não fosse uma das referências da formação do Rugby nacional. Antevia-se uma partida muito difícil, mas é precisamente este o nível que o Clube Caldense almeja, num momento da sua história em que, para além da afirmação no panorama do Rugby Português – de que a recente Gala do Rugby e Finais das Super Taças e Festa Nacional Sub14 realizadas nas Caldas da Rainha são exemplos, a sua formação também começa a ser reconhecida e a produzir os seus frutos.

Clima ainda a cheirar a Verão, dia ventoso, público entusiasta quase exclusivamente afeto aos Pelicanos, mas ainda longe daquilo que esta equipa merece.

Primeiros 5 minutos equilibrados, com o Caldas a procurar demonstrar que pode jogar de igual.

Ao 5º minuto, e a jogar contra o vento, uma má opção defensiva dos Caldenses, pontapé bem recuperado pelo Montemor que penetrou pelo centro da linha Pelicana, sem contestação, terminando entre os postes. Transformação eficaz e o marcador em 0-7.

Não se perturbou o Caldas e instalou algumas jogadas de ataque, a partir de conquistas de alinhamentos, mas sempre bem contrariadas pela defesa Alentejana, que esteve superior ao longo de toda a partida.

Mas, aos 11 minutos, o arrier Pelicano, Cláudio França, ao seu estilo, arrancou com poder e concretizou entre os postes. Transformação fácil por Tommy Lamboglia e o marcador igualado.

Contra equipas mais evoluídas e com outro ritmo competitivo os erros pagam-se caro. Uma repetição de jogada, aos 13minutos, um mau pontapé defensivo, de novo recuperado pelo Montemor, penetração pelo centro sem contestação e um segundo toque de meta transformado.

1º Quarto: CRAV – 0 / Caldas RC – 0

Dois erros defensivos faziam a diferença. O Rugby é um jogo de eficácia nos movimentos defensivos e de ataque. O Montemor mostrava-se superior na leitura de jogo, o Caldas com algumas dificuldades na ocupação das posições defensivas.

A partida prosseguiu na mesma toada, com ambas as equipas a desperdiçarem jogadas de ataque por erros técnicos.

O Caldas procurou implantar o seu jogo à mão, a partir de conquistas nos alinhamentos, respondendo o Montemor com uma defesa muito agressiva, rápida a cair sobre o portador da oval.

Aos 30 minutos, esta eficácia não conseguiu travar uma jogada a partir dos 3 de trás Pelicano, e o centro Oky D’Amato concretizou exemplarmente. O pontapé de Tommy Lamboglia resultou infeliz, com a oval a acertar no poste.

Empolgados os Caldenses tiveram dez minutos por cima e estiveram à beira de terceiro ensaio, frustrado por precipitação no breackdown a 5 metros da linha.

Respondeu o Montemor nos últimos momentos da primeira metade e, após várias sequências da linha de avançados, apenas travadas em falta pelos Pelicanos, chegaram a novo ensaio, transformado, após moule na sequência de alinhamento nos 5 metros.

1ª Parte: Caldas RC – 12 (2 E, 1 T) / RC Montemor – 19 (3 E, 2T)

Jogo interessante, a diferença a resultar de uma maior eficácia dos visitantes, com um Rugby mais estruturado e disciplinado.

A segunda parte iniciou-se como terminou a primeira. Dificuldade em travar o ataque Montemorense, apenas com recurso à falta, alinhamento nos 5 metros Pelicanos, moule e um ensaio transformado colocava o marcador em 12 – 26, aos 42 minutos.

Não desistiu o Caldas de estar na partida. Percebendo a dificuldade de ultrapassar a linha defensiva Alentejana passou a jogar ao pé, colocando dificuldades na receção adversária e provocando a falta.

Assim aos 45 minutos e aos 47 minutos, dois pontapés aos postes eficazmente concretizados pelo campeão europeu Sub20 Tommy Lamboglia, reduziram a diferença para 18-26.

A dificuldade em defender o moule Alentejano voltou a manifestar-se aos 52 minutos, com o resultado inevitável em mais um ensaio, desta feita não transformado.

A resposta Pelicana veio, aos 55 minutos, através de um pontapé de ressalto, a 45 metros dos postes, num momento de inspiração e grande execução técnica do médio de Abertura Tommy Lamboglia.

3º Quarto: Caldas RC – 21 / RC Montemor – 31

Montemor clínico e eficaz, Caldas sempre a tentar responder, mostrando carácter e qualidade técnica, mas com dificuldade em travar o maior poder do pack Alentejano.

Aos 62 minutos, fases sucessivas à mão dos Alentejanos, um pontapé tático muito bem executado, a solicitar a ponta e o sexto ensaio a decidir o marcador.

Até final o jogo instalou-se no meio terreno dos forasteiros. O Caldas procurou sempre ganhar a linha de vantagem, nem sempre com o discernimento necessário, também fruto do desgaste físico que um jogo de combate intenso fazia sentir. O Montemor defendia com competência e procurava colocar com pontapés táticos o jogo nos últimos 22 metros Pelicanos.

Talvez se justificasse um ensaio Pelicano, nesta fase, mas a defesa intratável dos Alentejanos nunca o permitiu.

Resultado Final: Caldas RC (2 E, 1 T, 2 P, 1 DG) / RC Montemor – (6 E, 3T).

Justa vitória da equipa Alentejana, comum Rugby mais adulto e maior poder físico.

Responderam sempre os Pelicanos, mas desta feita não conseguiram mostrar o discernimento em momentos chave da partida, o que faz a diferença a este nível competitivo.

Sem nunca darem tudo na partida, como é o apanágio desta equipa, os Pelicanos deixaram boas indicações de que, mantendo assiduidade e o ambiente e entrega que vêm revelado nas sessões semanais de treino, a época será positiva.

Arbitragem correta de Joaquim Castanheira. Organização de jogo sem mácula, comissariado por Adelino Jacinto.

No próximo sábado, 20 de Outubro, o Caldas RC desloca-se à Vila da Moita para a 3ª jornada do CN da 1ª Divisão.

Alinharam pelo Caldas RC: Alexandre Vieira, André Pinheiro, Claúdio França (1E), Cristiano Manuel, David Esteves, Diogo Vasconcelos, Filipe Gil, Gonçalo Sampaio, Gonçalo Silva, Jonathan Nolan, Leonardo Ferreira, Luís Carvalho, Luís Gaspar, Mariano Farias, Nuno Tomaz, Oscar d’Amato 1E), Ricardo Marques (Cap.), Ricardo Rei, Rui Santos, Salvador Cambournac, Tiago Gaspar, Tomás Lamboglia (1T, 2P, 1DG), Wilson Bento.

Treinador: Patrício Lamboglia

Diretor de Equipa: Francisco Azinheira

Fisioterapeuta: Érica Balseiro/Physioclem.

Os nossos agradecimentos ao apoio da CM Caldas da Rainha e aos nossos patrocinadores.

Partilhar...Share on Facebook
Facebook