9ª Jornada CN 1ª Divisão Caldas RC – 32 (5E, 2T, 1P) vs Guimarães RUFC – 18 (2E, 1T, 3P)

9ª Jornada CN 1ª Divisão Seniores


Triunfo difícil do Caldas RC frente ao Guimarães RUFC


O Caldas RC recebia o último da tabela classificativa confiante após a vitória anterior frente ao S.Miguel. O Guimarães deslocava-se à cidade termal à procura de pontuar, após o desempenho muito interessante frente ao 3º classificado na jornada anterior. Perspetivava-se uma partida disputada, como aliás se tem vindo a assistir em todas as contendas desta 1ªDivisão do Rugby nacional.


Tarde a ameaçar chuva, o céu bem escuro o que obrigou a ligar a iluminação artificial, campo pesado ainda que em boas condições. Pena o pouco público presente, ao contrário do que tem sido a constante desta época.


Entrou muito decidida a equipa Vimaranense, surpreendendo uns Caldenses com dificuldade em travar o “pack” adversário, mais pesado, concedendo faltas no “breakdown”.


Aos 4 minutos o chutador da cidade berço, Bruno Silva, aproveitou, com um magnífico pontapé a 50 metros, para transformar uma penalidade aos postes, inaugurando o marcador.


O Caldas procurava assentar o seu jogo e após uma troca de pontapés táticos – o Guimarães jogava a favor do vento, o Caldas, aos 10 minutos, recuperou a oval e lançou rapidamente as suas linhas atrasadas com um pontapé do centro Jonathan Nolan a solicitar a entrada imparável do “arrier” Cláudio França que concretizou à ponta. Transformação difícil para Tommy Lamboglia que falhou por muito pouco.


Prosseguiram os Pelicanos no seu jogo à mão, mas, vários adiantados iam permitindo a resposta dos Vimaranenses que procuravam lançar o seu pack avançado e obrigavam ao recurso à falta, no solo. Aos 16 minutos, e de novo com uma magnífica transformação, a cerca de 40 metros, o médio de formação Bruno Silva colocou a sua equipa na frente.


Os visitantes acreditavam e passaram a pressionar nos 22 metros da equipa da casa que permanecia em cometer várias falhas de manuseamento nas suas tentativas à mão. Mas, aos 20 minutos, o centro Pelicano Oky D’Amato intercetou um passe e, decidido, contra-atacou correndo até aos 22 metros do Guimarães endossando com mestria a oval ao ponta Diogo Vasconcelos que sóparou entre os postes. Transformação sem dificuldades do médio de abertura Caldense.


1º Quarto: Caldas RC – 12pts / Guimarães RUFC – 6pts.


Vantagem do Caldas resultante de 2 ensaios tipicamente de contra-ataque. Jogo disputado com o Guimarães a dominar territorialmente e no tempo de posse de bola.


A partida prosseguiu no mesmo estilo, o Caldas poderia ter marcado em novo contra-ataque do endiabrado Diogo Vasconcelos, mas a ocasião gorou-se de novo por um adiantado no passe final.


O Guimarães respondia com determinação e, aos 31 minutos, aproveitando um erro da defensiva Caldense, que resultou num alinhamento nos 5 metros bem conquistado, montou uma série de fases que terminaram num “pick & go” final e no toque de meta do poderoso pilar José Pereira. Transformação competente de Bruno Silva e os vimaranenses de novo na frente do marcador.


Os Pelicanos empertigaram-se e, mais concentrados, colocaram o jogo nomeio-campo adversário, com vários pontapés táticos quer pelo médio de abertura Tommy Lamboglia quer pelo centro Jonathan Nolan sempre a solicitar os ¾ ponta e o 15. Este último ia levando o Caldas para ferente causando cada vez mais problemas à defensiva adversária.


Como corolário deste ascendente o Caldas chegou ao ensaio aos 37 minutos pelo 2ª linha Wilson Bento após uma fase de ataque nos últimos 5 metros vimaranenses. A transformação, difícil, não resultou por pouco.


Não abrandaram os Pelicanos e com entradas decididas dos seus 2ª linhas iam criando muitos problemas à defesa contrária. Uma penalidade assim conquistada, no final da primeira metade, foi exemplarmente convertida aos postes por Jonathan Nolan.


1ª Parte: Caldas RC 20pts (3E, 1T, 1P) / Guimarães RUFC 13pts (1E, 2T, 2P).


Resultado em aberto. O Caldas podia queixar-se de alguma precipitação na condução das suas jogadas à mão, o Guimarães, poderoso nos seus avançados mostrava que podia criar problemas.


A partida reiniciou-se na mesma toada. O Caldas, com o vento pelas costas pressionava a linha do Guimarães com pontapés, mas más definições no final das jogadas iam permitindo a resposta em contra-ataque do Guimarães.


Aos 53 minutos, na sequência de uma boa fase dos vimaranenses que tinham refrescado a sua avançada, a oval chegou ao pilar Paulo Pinheiro que reduziu o placard para apenas 2 pontos, concretizando o toque de meta.


O Caldas como que acordou e aos 58 minutos, finalmente numa jogada sem erros, a oval passou pela linha de 3/4s e chegou a Diogo Vasconcelos que, rapidíssimo, só parou debaixo dos postes. A transformação por Tommy Lamboglia foi um pro-forma.


3º Quarto: Caldas 27pts / Guimarães RUFC 18pts.


Continuaria o Caldas neste registo, ou o Guimarães voltaria a responder? Esta era a expectativa para os últimos 20 minutos.


A resposta do Caldas foi indiscutível. Instalando-se definitivamente nos 22 metros vimaranenses, os Pelicanos construíram várias oportunidades.

Chegaram ao ensaio aos 68 minutos, mas o toque de meta foi invalidado por indicação do fiscal de linha – o 2ª linha Caldense terá pisado a linha lateral.


Aos 71 minutos uma jogada de compêndio. Pressão dos avançados Pelicanos sobre a linha de meta do Guimarães sobre a ponta esquerda, passe para Tommy Lamboglia que um “cross-kick” de antologia colocou na ponta direita, junto à bandeirola. Receção nas alturas de Alex Vieira que, mesmo pressionado, concretizou o toque de meta.


Até final o jogo foi de domínio total do Caldas que esteve perto do sexto ensaio. O Guimarães com brio foi defendendo e impedindo o avolumar do resultado.


Resultado Final: Caldas RC 32pts (5E, 2T, 1P) / Guimarães RUFC 18pts (2E, 1T, 2P).


Vitória com justiça do Caldas, que teve na sua melhor capacidade técnica a sua arma.
Resposta sempre determinada do Guimarães, que manteve o resultado em aberto até ao último quarto. Rugby com princípios, o lugar na classificação talvez não espelhe a qualidade da equipa.

Arbitragem equilibrada de Carlos Lourenço.


Alinharam pelo Caldas RC: Alexandre Vieira (1E), Bruno Martins, Caetano Perez, Claudio França (1ª), David Esteves, Diogo Vasconcelos (2E), Filipe Gil, Gonçalo Sampaio, Gonçalo Silva, Jonathan Nolan (1P), Leonardo Ferreira, Luís Carvalho, Luís Gaspar, Mariano Farias, Miguel Freitas, Oscar d’Amato, Ricardo Marques (Cap.), Rui Santos, Salvador Cambournac, Tiago Gaspar, Tomás Lamboglia (2T), Tomás Melo, Wilson Bento(1E).
Treinador: Patrício Lamboglia
Diretor de Equipa: Francisco Azinheira
Fisioterapeuta: Érica Balseiro/Physioclem.


O nosso agradecimento ao apoio da CM Caldas da Rainha e aos nossos patrocinadores.

Partilhar...Share on Facebook
Facebook